sábado, 26 de setembro de 2015

Entrevista #3

Depressão Pós-Parto


Um tema mais frequente do que por vezes pensamos.
Meses difíceis de uma mulher comum com uma doença chamada "depressão pós-parto.

Uma entrevista de algumas perguntas sobre o assunto a Sofia (nome fictíscio).

1- Em que ano começa a sua luta com a doença Depressão Pós-Parto?

Foi no ano de 2006, e foi muito difícil aceitar a doença.

2- Como descobriste que estavas com Depressão?

Primeiro notei que me tornei uma mulher bastante agressiva com todos a minha volta, família, amigos e até com o meu marido.
Mas também tornei-me muito protectora da minha filha (ao contrario de muitas mulheres com a mesma doença) não queria que ninguém a pegasse ao colo, nem chegassem muito próximo. Chorava muito...

3- Como reagiste ao saber que estavas com a doença?

Não aceitei logo que estaria assim, pois nunca me acreditei na chamada doença depressão pós-parto, sempre achei que era uma "desculpa" que as mulheres arranjavam para chamarem a atenção de todos que as rodeiam.

4 - Chegou a procurar ajuda medica?

Sim, fui ao meu medico de família e fui logo medicada. Talvez esse foi o erro, em não procurar um psiquiatra que estaria mais apto em tratar o meu caso mas na altura não tinha informação suficiente.

5 - Por quanto tempo precisou tomar a medicação?

A medicação deveria ter sido tomada por um 'periudo de 1 ano, mas ao fim de 3meses e meio neguei-me a continuar, por um motivo maior, passei a me sentir uma pessoa drogada, passava a maior parte do tempo a dormir, havia dias que nem a minha filha via, isso revoltou-me e tirei forças de onde não havia para deixar aquela medicação e lutar contra, voltar a viver.
Precisava da minha vida de volta. Voltar a cuidar da minha filha.

6 - Depois de parar com medicação, quanto tempo demorou a se sentir curada?

Ainda tive que lutar mais 5 meses para sentir que estava a 100% outra vez, precisei de tempo para mostrar a todos que estava boa e capaz de cuidar de tudo outra vez.

7 - O que aprendeste com a doença?

Aprendi que acima de tudo a nossa melhor amiga é sem duvida a força de vontade própria, sem ela nada é possível.
E claro que agora acredito que a doença existe e que é preciso ter alguns cuidados.

» A Sofia é sem duvida uma grande mulher, uma mulher cheia de força e acreditem uma excelente mãe!

P.S: Espero que gostem!
Se tiverem alguma pergunta para a Sofia deixem nos comentários.
Um beijinho grande e bom fim-de-semana:-)
Enviar um comentário